terça-feira, 23 de novembro de 2010

Ao professor de matemática

Sempre acreditei que só pudesse encontrar coisas sem graça, comuns e totalmente ridículas presas entre as paredes de um colégio. Me enganei!
Fiz sim alguns poucos amigos, e acredite, encontrei professores que valem a pena!
É bizarro eu sei, mas encontrei um amigo na pessoa mais inesperada - o professor de matemática - e pasmem, eu NÃO tiro boas notas com ele.
De repente alguém deve pensar " garota, acorda, isso é apenas uma ilusão de adolescente", mas engana-se quem me julga adolescente padrão, pois sou totalmente fora do comum. E engana-se mais ainda a cada suposição que faz. Não tentem entender, decifrar ou rotular Daiane Kimberlly, vocês não serão capazes!
Costumo encontrar valores nas coisas mais simples, que se solidificam em atos, dia após dia. E... eu não sei mais o que falar.
São apenas algumas palavras embaçadas como espelhos em uma sauna, que ganham corpos estranhos, e de alguma forma tentam transmitir algo muito pequeno comparado ao que de fato tento dizer.
Sim, eu tenho um professor legal, engraçado, meu amigo e muito paciente - muito mesmo.
Definitivamente hoje as palavras estão de mal de mim, e a inspiração concerteza está de TPM - o que não é muito agradável - mas eu precisava dizer isso.


Dedicada: Joel [ o melhor! ]

2 comentários:

  1. kkkkk. canábis _\|/_
    para minina, eu só tô idiota, mas escrevi com boas intenções!

    ResponderExcluir