quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

I need your hug :(

Chega a ser estúpido, mas em meio tantas pessoas e supostos amores, tudo o que preciso nesse momento é um abraço.

Escrever...

Escrever é um vício,uma rotina, uma necessidade.
Escrevo para salvar vidas. Mais precisamente a minha vida.
E não importa como estou, importa apenas que fluam as palavras como gotas de chuva caem do céu.

Hoje, talvez as ruas estejam floridas e a temperatura agradável.
Talvez a tempestade seja furiosa...
Ou seja apenas uma tarde sem fim... Só depende do que verei quando fechar meus olhos.

Talvez hoje eu me apaixone, ame loucamente, ou simplesmente te descarte da minha vida.
Só depende do que eu vou sentir quando ouvir o compasso das batidas do meu coração.

E não tente me entender, já está fora de coagitação.
Apenas me deixe.
Não preciso que me aceite, que me julgue ou me ame.
Apenas me deixe!

Seu jogo? Minha vitória!

Você sabe que não pode me engolir, tudo bem, eu deixo que me vomite.
Seu olhar não afeta a luminosidade do meu dia, pode continuar tentando...
Você não vai me derrubar, só permito que ainda lute contra mim para que essa história chamada vida faça sentido.
Se acha invencível não é mesmo? À pouco te provei o quanto é abalável.
Sua soberba não me intimida, nem nada do que você tente fazer.
Incansável, eu? Sim, é uma das minhas definições...
Você desiste? Bem vindo ao fim.
O seu jogo, suas regras, a minha vitória!
Prepare-se, você ainda não é palio pra mim.

Continuarei esperando.

Se eu pudesse arrancaria esse momento dos meus pensamentos, mas... Eu não posso.
Sim, fui patética, poderia ter sido mais lógica, ao menos mais sensata comigo mesma. Mas não... Eu fui uma demente!
Beijar os lábios de alguém que não se ama, alguém por quem seu coração jamais palpitará, nem sentirá aquele friozinho na barriga.
Nada, absolutamente nada. Foi o que senti ao tocar seus lábios.
E a culpa? Sim foi minha, por levar a diante, por ser tão ridícula, mesquinha, insensata.
Quanta desilusão!
Mas eu precisava mesmo fazer uma burrada dessas pra terminar o ano não é mesmo?!
Parabéns pra mim ¬¬
Espero que eu não tenha despertado nada em você, não seria justo. Eu sei, e mais do que isso, sinto que você não foi feito pra mim.
Talvez eu precisasse me olhar no espelho aquela tarde e ver que eu estava bem só. Mas me recusei e ouvi meus instintos adolescente debilóides. Eu não poderia ter te usado.
Mas quer saber, nunca fui o tipo que chora pelo leite derramado, e não vai ser diferente agora.
Espero que você vomite o gosto dos meus beijos, e que faça o mesmo com as memórias de mim.
Seja feliz, e quanto à mim? Continuarei esperando o meu amor, o meu amor de verdade.

Estranho...

Ainda é estranho, mas acho que estou bem.
A simplicidade, a humildade... Sei que elas ainda predominam em meu coração.
Talvez eu não seja de todo um monstro.

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Fica comigo!

De que adiantaria te ter agora e sofrer por sua ausência em alguns dias?!
Pior do que a indecisão de qual lugar te deixar preencher em meu coração, é saber que de qualquer forma vou sofrer e sentir sua falta.
E de todos os golpes, o mais duro foi o do destino... Ele me trouxe você, dias alegres, sorrisos e confiança...
E agora...
Bom...
Agora ele quer você de volta, junto com todos os sorrisos e meus momentos bons.
Esquece o destino...
Fica comigo!

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Dear mirror

Querido espelho, não é você que define quem eu sou. Não me submeto a opiniõezinhas ridículas, e muito menos a achismos que não levam a lugar algum.
Estou crescendo caso não tenha notado, e já não acredito em contos de fadas, espelhos mágicos e toda essa baboseira.
Corro junto com o incansável tempo, á fim de talvez aliviar minhas dores...
Ainda não sei ao certo o que é futuro, mas conheço com propriedade o passado, e nele não quero mais me submergir.
É espelho, não foi dessa vez que você me venceu, e nem nunca vencerá pois acabo de te destruir!

Argh!!!

Matar uma pessoa agora seria uma opção bem viável.
Matar meus sentimentos talvez me fizessem melhor.
Preciso mesmo é de sinceridade, falsidade e hipocrisia me dão aversão, e disso já estou farta!

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Estou cansada!

A verdade é que ninguém está à fim de ouvir ou ver a verdade.
A verdade é que quando se está mal, precisando de carinho, força e cuidado não há ninguém por perto.
Verdade é que quando escrevo meus versos as entrelinhas dizem: me empresta seu coração, pois o meu sozinho não aguenta tanta dor.
Verdade é que sou julgada por dizer o que penso, mas quem mente, finge e engana, está impune de julgamentos, culpas ou consequências.
A verdade é que eu estou cansada!

Bye!

Acho que estou tendo surtos de flashs. Ou assim que penso escrevo, ou era uma vez inspiração.
Tinha me decidido a não mais falar sobre coisas tristes, sombrias, gélidas e qualquer outra coisa desse gênero, mas definitivamente eu sou fraca, muito fraca, ou as circunstâncias é que são fortes demais.
Tá, eu sei, não devo olhar para as circunstâncias, uhum, estou tentando. Mas... nem tudo é tão fácil, e me desculpe, se você me disser que nunca olhou para as circunstâncias é um hipócrita sem moral!
Tudo é tão estranho, parece que só o meu mundo nunca entra em órbita, ou pior, parece que ele é o único a estar sempre em colisão com grandes desastres.
As pessoas são muito inconstantes, pode ser também que eu que não varie muito, mas a inconstância, ela me mata, todos os dias. Não dá pra pensar em nenhuma solução quando se tem a inconstância trabalhando contra você o tempo todo! Isso é exaustivo, cansa mais do que lutar contra o tédio que atormenta minha vida.
Tenho vontade de sumir, fugir pra longe... Las Vegas, Veneza, quem sabe Alasca ou Madagascar. Qualquer lugar inusitado, diferente ou simplesmente onde ninguém me conheça ou me encontre. Seria uma vida meio solitária, mas valeria à pena, com algumas folhas, lápis, música e o céu que sempre me acompanha, eu seria feliz. Pintaria, escreveria, encenaria, viveria, seria a felicidade todos os dias.
Assim definitivamente não dá pra ficar, não engulo a idéia de não ter minhas asas, e viver congelando o que tem dentro de  mim não funciona mais tão perfeitamente.
Não se assuste se receber um cartão postal, esboçado de felicidade, e vivo como minhas memórias. Não se assuste se ele vier de longe, do outro lado do globo, ou quem sabe de outro planeta. Não se assuste! Apenas deseje-me dias alegres e coloridos, de escuridão e tristeza já me basta a vida que levo.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

X's

xxxxxxxxxxxxxxxxxxx
 é tudo que eu consigo pensar nesse momento instigante.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Muito Diva!

À extremidade de mim estou eu. Eu, implorante, eu a que necessita, a que pede, a que chora, a que se lamenta. Mas a que canta.

90 anos de Clarice Lispector. Maior diva literária, - na minha opinião - afinal, quem mais falaria por nós?!
#vivaclarice

O Anseio de Uma Humanidade

Eu li, gostei, e tá aqui:


O Anseio de Uma Humanidade

10.12.10 | 


Sinceramente, o que você tem feito? O que você tem doado? Pelo o que você tem orado? Onde você tem ido? O que você tem falado? Galera, com a maior sinceridade e temor em seus corações, tentem responder essas perguntas! É algo muito mais sério que o título de cristãos que carregamos. Deus não espera de nós só boas obras, o que Deus espera é AMOR. E amor é ação.

Quantas vezes fui em cultos em que o Espírito Santo "desceu", e foi derramada aquela unção de ousadia, de pregação, pessoas aceitando o chamado de Deus e tal, mas depois de uma semana, duas no máximo, já não sabiam onde estava aquele fogo todo daquela noite. Aceitar o chamado de Deus é mais que um SIM. É ver como Ele vê. Sentir o que Ele sente. Amar o que Ele ama e da forma que Ele ama. Tenho sido extremamente incomodada com isso nos meus últimos meses com Deus. Amor só é amor, se demonstrado, e o Espírito Santo é Aquele que te impulsiona a agir, não aquele que "desce" e fica em você. Ele transborda!

Em meio a tantos barulhos do mundo, você consegue escutar o choro de Deus pelas vidas perdidas? Em meio a tantas luzes coloridas e atraentes, você consegue ver a fome e sede de amor que os filhos amados não-alcançados de Deus tem? Em meio a rumores de guerras, amores frios, tribulações, doenças, mortes, você consegue ouvir a voz de Deus GRITANDO: "Quem hei de enviar? Quem há de ir por nós?" Qual tem sido sua resposta? A de Isaías ainda queima em meu coração, como da primeira vez que a li: "Eis-me aqui, Senhor. Envia-me a mim."

O que você tem feito? O que você tem doado? Pelo o que você tem orado? Onde você tem ido? O que você tem falado?

Com temor em meu coração te digo: Tenha coragem de ir onde ninguém vai! É na favela? No morro? Numa casa de prostitutas? Na cracolândia? Num asilo? Na casa daquele cara do seu trabalho? VÁ! Tenha coragem de tocar onde ninguém quer tocar! É o sujo? É o impuro? É o leproso? É aquele seu tio alcoólatra? TOQUE! Tenha coragem de falar do amor que pode curar a quem ninguém quer falar! É o seu patrão? Seus pais? Seu vizinho? FALE!

Pelo amor de Deus, faça algo. Deus não precisa de esquenta-banco na igreja no domingo. Ele precisa de gente que tenha coragem, ousadia. É a África? Índia? China? Sim! É o bairro ao lado do seu? É sua cidade? É sua família? Também!

A realidade é que, dia após dia, pessoas de longe e perto morrem sem encontrarem a cura. E eles morrem clamando, e voz desses filhos queridos de Deus, ecoa até nós: "Onde estão os pés que anunciam as boas novas? Onde estão as mãos que tocarão nossas feridas? Onde estão os olhos que se compadecerão de nossa dor? Onde estão aqueles cujo o amor é a marca principal? Onde estão os filhos de Deus? Ainda os aguardamos ansiosamente!"

"Porque a criação aguarda com ardente expectativa a revelação dos filhos de Deus." (Romanos 8:19)

Faça jus ao seu título de filho de Deus e vá! Um filho de verdade iria!
Um filho, que tem amor a seu pai, tem amor a aquilo que para o Pai é precioso.

Deus abençoe! 
Com temor,
@CamilaZaponi

Clarice L.


Gosto do modo carinhoso do inacabado, do malfeito, daquilo que desajeitadamente tenta um pequeno vôo e cai sem graça no chão.

Oh Shit!

Hoje eu explodi.
Tentei me conter, não fiz tudo que tinha em mente, mas poderia ter evitado essa cena.
O problema é que eu não consigo esconder tudo o tempo todo, o problema é que ser sempre o alvo está me cansando, e o problema maior ainda é que quem atira a pedra nunca esquece, mas as marcas pelas mesmas deixadas não somem nunca!
Me arrependi, principalmente por ter chorado. Eu prometi pra mim mesma que não mais faria isso. Mas não posso controlar tudo o tempo todo.

I need to help!

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Diva!

Tenho duas caras.
Uma é quase bonita,
Outra é quase feia.
Sou um o que?
Um quase tudo.

Clarice Lispector

Esperançosa

Eu precisava postar algo certo?!
Mas não sei bem o que devo e se devo dizer.
Estou perdida entre meus sentimentos novamente, e até que tudo se estabilize, não deixarei vestígios.
Estou esperançosa, sim esperançosa. Não para que dê certo, nem para que dê errado, apenas para que me tire da rotina.

Dias atuais.

O que vejo?
Nada além de degraus.
E o que eles fazem?
Bom, as vezes me frustram, outras ofuscam minha visão, e em outras me derrubam até o início novamente. Mas são apenas degraus, e não podem me fazer retroceder, nem me derrubar.
Eles foram feitos pra eu subir, certo?! E é exatamente isso que vou fazer, subir.
Não, eu não encaro isso como soberba, mesquinhez ou egoísmo - que seja - é apenas a maneira de se manter vivo e de pé nos dias atuais.
Ser poeta as vezes é um fardo, e as vezes ser um diário ambulante que jamais poderá ser aberto para ninguém pode enlouquecer.
As vezes respirar dói, desde os pulmões até a alma, e lágrimas? Minha tese sobre elas não é lá grande coisa, e talvez nunca se solidifique, mas o que sei é que elas carregam pedaços nossos a cada nova gota escorrendo na face, e quando tocam o chão, assemelham-se a terremotos devastadores.
Vida? É, não posso defini-la muito bem. Estou apenas exercendo-a.

Não é fácil.

É tudo tão confuso.
Diria que uma confusão intensa, as vezes apavorante e em suma desconcertante.
Definitivamente ainda não sei onde ou quando vou parar.
O que sei é que é difícil, muito difícil, afinal, ninguém me garantiu que seria sempre fácil.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Sonho.

Você insiste em aparecer só em sonhos não é mesmo?
E agora invade sonhos que nem são meus...
Mas talvez isso seja um bom sinal,
Talvez signifique que você está mais próximo da realidade.
E talvez... Talvez valha mesmo a pena te esperar.

O cenário perfeito, a música ideal, a minha confidente
E... Você.
Acho que idealizar esse momento seria viver uma cena de uma comédia romântica.
Sim, comédia, porque eu sempre me atrapalho.

Não teríamos a chuva e particularidade,
Mas teríamos o mar e toda sua imensidão.
Teríamos a lua nos guiando,
Teríamos a canção apaixonante
E amigos que completariam nosso ciclo vicioso de felicidade.

Eu ainda estou te esperando,
E não vou mais pedir pra vir depressa.
Só venha.
E eu sei que Deus está escrevendo a minha história de amor...

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Massacre sua mente.

Woooool, 3 dias sem post nenhum. Definitivamente a criatividade sumiu.
Mas em partes isso é bom, tenho mais tempo pra ler sem ser interrompida por loucos acessos de inspiração.

Falando em leitura lá vai, li no blog páginas encadernadas e achei que vocês também deviam saber disso.


De todos os lados, em todas as direções. De cima pra baixo, de baixo pra cima: massacre sua mente com a verdade. Golpeie de todos os lados com afirmações verdadeiras, com justiça e retidão. Esbofeteie seu cérebro com o Evangelho, até que essa mente corrompida e obscura, amortecida por pensamentos maus, calterizada por tendências pecaminosas morra. Morra. Para ressuscitar em você a mente de Cristo, cheia de graça, luz e verdade; cheia de bondade e amor, benignidade, mansidão e temperança. Mas, por enquanto, por agora, pelo instante presente, massacre, massacre sua mente com a verdade!

créditos: Rouver Júnior

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Na sala do Trono

Finalmente hoje parece que as coisas estão voltando ao normal.
Me sinto mais humana, mais amável, mais eu!
Tenho a impressão de que "meu mundo" estava de cabeça pra baixo, uma bagunça incrívelmente assustadora e capaz de me mutilar sem que eu ao menos pudesse notar a diferença da dor.
É, hoje meu coração doeu, mas porque a mundo foi colocado no seu lugar de origem, de onde nunca deveria ter saído. Doeu também organizar a bagunça, e ainda existem algumas coisas pendentes, mas por pouco tempo.
Hoje, eu pude apreciar o dia de uma forma diferente, ele não foi vazio como todos os outros, e nem cheio de coisas que eu buscava para me preencher desesperadamente.
Hoje, fomos só nós dois, o Pai perfeito e a filha extremamente complicada. E quer saber? Não existe nada melhor do que passar horas assim.
Hoje, pode apostar, vou dormir sorrindo e acordar disposta. Disposta a terminar de organizar "meu mundo", disposta a sorrir e ser feliz, disposta a abraçar o Pai perfeito enquanto Ele se encarrega de toda a minha vida.
Hoje, eu abri os olhos, e encherguei o que a dor a muito tempo me impedira de ver: eu vi o Pai me esperando pra dançar outra vez... na sala do Trono.

Esta casa...

Hey peoples!
Encontrei esse texto no blog cabeça jovem, achei lindo e resolvi postar aqui pra vocês ;]



Esta casa…

Um conto (apaixonado) de Gustavo Guilherme
Esta casa nunca esteve desocupada, mas dia desses um homem educado e gentil bateu na porta.
Com um sotaque hipnótico e um olhar irresistível, ele pediu que pudesse, se possível, entrar e repousar aqui, nesta casa.
Não detive o sorriso e escancarei a porta, fiz as honras, lhe ofereci um prato de lasanha, ao que gentilmente respondeu que não – preferia um belo peixe ou um pedaço de pão.
Ali o homem ficou, repousou, descansou.
Quando acordou, não o deixei mais sair. Lhe ofereci um lugar para morar. Esta casa.
Um dia percebi graves feridas em suas mãos e me ofereci para cuidar delas, mas ele, com uma delicadeza descomunal, não deixou que eu nada fizesse além de admirá-las, de vez em quando tocá-las.
No dia seguinte, porém, ele percebeu as minhas feridas e me pediu para que ele as medicasse, e eu deixei – e ele as curou.
De vez em quando ainda o vejo mexendo nas coisas, geralmente mudando as peças desta casa de um lado para outro, voltando para o lugar onde estava e trocando de lugar outra vez. Ele é incansável em suas mudanças que me aprisionam em seu caráter irrepreensível.
Nesta casa, o homem está livre e, vez ou outra, se incomoda com a sujeira e as varre para fora da casa; se entristece com os quadros pendurados na parede, e os queima; ou, como o vi fazer estes dias, se comove com minha dor ou meu sorriso e senta ao meu lado, só para chorar comigo, só para sorrir comigo.
Nesta casa que sou eu
_______________________________________________
Por: Gustavo Guilherme direto do TERRITÓRIO-7

;]

Tô ne aí, tô nem aí  ♫

domingo, 28 de novembro de 2010

Solution

E se não é permitido pisar na grama,
A solução é deitar e rolar!

Smile :)

Sorria!
A noite é bela, as estrelas brilham e seu coração é meu...
Sorria, vamos sorria!
Eu pego em suas mãos, te levo ao centro do salão e bailamos a melodia que nos faz flutuar.

Venha, vamos caminhar na grama enquanto a noite transporta as almas alegres no salão.
E agora?!
Você olha nos meus olhos e sorri. Eu toco seu rosto, e nossos lábios se encontram.

Sorria, vamos, sorria!
Tem um mundo tenebroso lá fora sendo convertido pela nossa felicidade.

E nada mais é escuridão, nossa luz é capaz de ascender um país.
Sorria!

E mesmo sem notas, nossa canção tem a mais bela melodia.
Vamos converter tristeza em felicidade,
Vazio em alegrias
E noites frias, em espetáculos estrelados.

Sorria, vamos, sorria!

sábado, 27 de novembro de 2010

Eu descobri que também estou preso dentro dessa dor.
Sem ninguém pra me ajudar.
Preso nesse corredor, desistindo de tentar.
Preso dentro dessa dor, não há como me salvar.




Europa - Fresno

No chão.

Estou caindo mais uma vez.
E a verdade é que sempre estive caída e não percebi.
Mas... levantar sozinha é difícil, e dói.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

I need.

Do que eu preciso?
Apenas de um lugar vazio para contemplar o horizonte sem fim.
Do que eu preciso de verdade?
De sinceridade e algo que me preencha por completo.
Cansei de tentar me preencher com sedes afetivas. Agora? O que vier é lucro!

Minhas mentiras...

O que eu faço?
Eu dou risada quando ao invés de te ouvirem como se dispuseram, te apontam e querem que você engula a merda das teses deles de melhorar a sua dor.
E quer saber? As teses nunca funcionam, são só mais testes, e nada de ações.
E o que acontece quando você acredita nelas? Você esconde a dor e passa a viver uma vida que não é sua.
Tá a fim de viver uma mentira? Vá em frente.
Eu também vivo uma, mas vivo a minha. A minha mentira de que eu estou bem assim.

Hora de arrumar o armário!

Sempre chega a hora da solidão, e sempre chega a hora que o poeta chora.
Sempre chega a hora que tudo perde a cor, e já é hora de arrumar o armário.
Mas... É tão difícil se desfazer do que outrora era meu alge de felicidade, e agora já não me serve, não encaixa, não tem cor.
Hora de revisar o que de fato só está acumulando bagunça e poeira, como um passado mal resolvido.
Chega o momento de doar, se desfazer, ou apenas jogar no lixo.
O armário da minha vida está por arrumar a muito tempo, e talvez não seja tarde demais.
Provavelmente, escutarei uma música estranha, com acordes profundos nesse fim de dia monótono e começarei pelas partes mais altas - as que doem mais- e depois, bom, depois eu não vou chorar. Vou apenas tapar os ouvidos enquanto a dor grita em meu peito, e mais uma vez dizer pra mim que eu estou bem.
E a verdade? A verdade é que 'você está bem?' é apenas uma pergunta retórica, e é mais verdade ainda que ninguém nunca quer saber se você de fato está bem, e a verdade é maior quando te dizem 'vai ficar tudo bem', e você sabe que não vai. Nunca fica...

Secrets

I need another story
Something to get off my chest
My life gets kind of boring
Need something that I can confess.


- OneRepublic

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Abstinência

Eu poderia não dormir. Eu poderia apenas ficar acordado pensando em nós.
Eu poderia sonhar acordado com você dançando na luz de um sol poente.
Eu poderia apenas dar asas ao meu coração para que ele te tocasse nesse momento.
E então lágrimas bordam o papel em que tento dedicar-lhe uma canção.
Meu coração está palpitando depressa, parece que é o momento de abstinência de você, parece que o dia está chegando ao fim.
E agora eu poderia apenas recostar minha cabeça no travesseiro, e cantar pra você: volte pra casa, volte pra casa!
Eu poderia roubar a lua para que o sol permanecesse por mais tempo, e eu pudesse continuar vendo-te bailar sobre a luz do belo poente.
Meu coração está palpitando depressa, será que pode ouvir?
Meu coração está palpitando depressa, parece que é o momento de abstinência de você, parece que o dia está chegando ao fim.
E eu, eu poderia cantar pra você: volte pra casa, volte pra casa!

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Frasezinha

Você acha que esta história vai ter um final feliz?
Finais felizes são apenas histórias que ainda não terminaram.
— Sr. e Sra. Smith

Passos

Já não sei se grito, ou se deixo a dor falar mais alto.
Não sei se me seguro, ou se deixo a maré de desespero me levar.
Tudo parece tão bem... Mas apenas parece.
Embora em meu peito tenham sido entalhadas cicatrizes de ódio, não ouso retribuir a ninguém.
Parece que estou caminhando rumo ao meu fim.

Beautiful Lies.

Acho que estou fingindo muito bem, caso contrário não chegaria ao ponto de acreditar em mim mesma.
De certo modo isso me assusta, mas não sentir as vezes, ou simplesmente abafar a dor até não ouvi-la nem que seja por segundos, é inexplicavelmente gratificante!

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Há odiadores lá fora.

Embaraçada em sentimentos caóticos não consigo dormir.
Fecho os olhos e minhas pálpebras servem de tela para a projeção do meu passado empoeirado, e inutilmente tento procurar nele dias melhores que não tenham acabado e nos permitam viver-lo outra vez.
Meu peito continuaria vazio, se não estivesse preenchido nesse momento pelo grande nada.
Minhas mãos estão atadas e estatizei meus sentimentos - ou pelo menos acredito que assim o fiz.
E pode me chamar de covarde por não querer mais enfrentar a dor, mas chorar me desgastou e sofrer me fez muito mal.
Amaldiçoei meu amor até descobrir que é impossível viver sem necessidades.
Agora nada mais importa, estou submersa em um mar de desilusões e pedras são atiradas contra mim  constantemente.
Não posso mudar meu passado, muito menos os odiadores lá fora. Mas posso banir as lágrimas, esconder as feridas e forçar um sorriso.
Não estou morrendo, não agora!

É minha realidade.

[...] Mas daay, sentimentos podem ser bons!
- Não, definitivamente prefiro não correr o risco de me deparar com mais dor. Prefiro me esconder até mesmo dos bons, não posso continuar carregando fardos de feridas imensuráveis. Tudo o que parece bom tem um lado obscuro infalível em fazer sangrar.

Noites de Tormenta

Passei o dia bem, mas... a noite chegou mais uma vez.
Elas sempre chegam, e duram pra sempre, e elas não estão sozinhas, trazem sempre a dor que me atormenta.
Seguir em frente, aham, estou seguindo. Ser forte, é, eu tenho sido.
Por fora tudo está tão bem! Mas as malditas noites sempre chegam.
E eu? Eu permaneço tentando apagar memórias de um passado que não é real. Permaneço tentando ser alguém normal.
Mas dói, e eu sinto arrancarem pedaços de um coração que já não existe.
Eu permaneço maquiando a angústia que as dores me trazem, escondendo o tormento que as noites me proporcionam, e no lugar de sonhos? Apenas pesadelos inundados por lágrimas!
Tento não respirar, quem sabe em busca de amenizar a dor, ou apenas para não chorar.
E o antídoto pra esse mal, talvez jamais seja encontrado.
Nada, nunca vai fazer voltar o tempo que eu perdi tentando me curar, e eu, eu continuarei usando a máscara que esconde o vazio e as feridas de uma alma que só tem a opção de viver.

Ao professor de matemática

Sempre acreditei que só pudesse encontrar coisas sem graça, comuns e totalmente ridículas presas entre as paredes de um colégio. Me enganei!
Fiz sim alguns poucos amigos, e acredite, encontrei professores que valem a pena!
É bizarro eu sei, mas encontrei um amigo na pessoa mais inesperada - o professor de matemática - e pasmem, eu NÃO tiro boas notas com ele.
De repente alguém deve pensar " garota, acorda, isso é apenas uma ilusão de adolescente", mas engana-se quem me julga adolescente padrão, pois sou totalmente fora do comum. E engana-se mais ainda a cada suposição que faz. Não tentem entender, decifrar ou rotular Daiane Kimberlly, vocês não serão capazes!
Costumo encontrar valores nas coisas mais simples, que se solidificam em atos, dia após dia. E... eu não sei mais o que falar.
São apenas algumas palavras embaçadas como espelhos em uma sauna, que ganham corpos estranhos, e de alguma forma tentam transmitir algo muito pequeno comparado ao que de fato tento dizer.
Sim, eu tenho um professor legal, engraçado, meu amigo e muito paciente - muito mesmo.
Definitivamente hoje as palavras estão de mal de mim, e a inspiração concerteza está de TPM - o que não é muito agradável - mas eu precisava dizer isso.


Dedicada: Joel [ o melhor! ]

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

A dor.

A dor ás vezes pode ser apenas uma lágrima que sem perceber eu deixei rolar, ou um sorriso forçado.
Talvez seja o refúgio que me persegue sem deixar opções. Mas acho que já estou me habituando a ela.
Insuportaveis tem que se suportar!

[...]

E tudo ia mal. E tudo permanecia fora do lugar.
Ela ainda tinha uma alma, mas talvez não tivesse mais um coração. Ela ainda tinha palavras, mas amor, nunca mais pronunciaria!

-

[...] e ela chegara a conclusão de que o amor só pode ser mais uma verdade inventada.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Aceite se quiser, ou se puder...

Mas a verdade, ela nunca existiu. Foi tudo inventado por cabeças mirabolantes, supérfulas e acusadoras.
E a verdade, nunca passou de uma ilusão!

Simples assim!

As vezes tudo qe se precisa fazer é forçar um sorriso, responder algumas perguntas com supostos sins, que mesmo não sendo intensos como deveriam, sempre convencém, afinal, ninguém nunca quer saber se você de fato está bem.
As vezes, tudo que se precisa fazer, é estar com você mesmo e descobrir que só você pode ser seu amigo.
E as vezes, tudo que se precisa fazer, é fingir.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Dex ;]

Vivi na escuridão por muito tempo.
Na escuridão meus olhos se adaptaram até que eu pudesse enchergar.

 [ Dexter Morgan ]

A verdade...

A verdade é que todo mudo mente e não se pode negar.
E o problema é que ninguém tem coragem de assumir o que sente. Talvez por medo de julgamentos ou simplesmente por covardia.
E o problema maior ainda é que eu não ligo pra nada disso, eu expresso o que sinto, e não tenho medo do que vão pensar, afinal, os sentimentos são meus e nada do que pensem sobre mim vai mudá-los.
A verdade, é que as vezes ser um pouco mais egoista previne de muitas coisas. A verdade, é que todo mundo sabe e ninguém quer ver, que o amor também fere.
E eu, sempre tentando mudar, melhorar, acertar... Percebi que mais que aos outros, isso pode me machucar, machucar muito, e por enquanto, me machucar mais não é uma idéia muito boa.
É, eu aprendi com as punhaladas que calar-se diante dos sentimentos pode evitar muitas coisas, inclusive as boas. Mas eu preciso correr o risco.
Infelizmente já não há ninguém que se adeque ao meu modo de ser, e de mais a mais, eu sempre soube que não era muito normal, e cá entre nós, ser normal é muito chato!
As vezes máscaras precisam cair, e elas não costumam permanecer por muito tempo ao meu redor. E ás vezes superficialidade cansa.
É exatamente isso que está me matando, SUPERFICIALIDADE, e isso é ridículo. Sempre começa com a frase: 'preciso de você', e depois pedem sua confinça, sua presença, sua atenção, e tudo que você tem de bom. E depois de você ter perdido noites de sono pelos problemas deles, aí você se sente sozinho, e de fato eles te deixaram. Aí vem os questinamentos, e eles sempre dizem que é coisa da sua cabeça. E depois disso você não tem ao menos o direito de se sentir mal, é patético!
Seria mais fácil se eles abrissem o jogo e dissessem: ' você foi apenas um capítulo do meu livro de fantasias'. Seria dolorido, mas passaria.
E a verdade, é que eu só quero a verdade, mesmo que doa, mesmo que faça chorar, mesmo que deixe triste. Eu quero a verdade!

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Você não era real

Foi um sonho, o mais real que já tive. Eu vi você.
Seu semblante transmitia paz e seu coração pulsava a mais bela melodia já existente.
Sua mão tocava meu rosto em um movimento suave, enquanto seus olhos me fitavam.
Você pegou minhas mãos, e em um ritmo inventado dançávamos em passos suaves.
Tudo era tão belo, tão perfeito, tão... Tão demais pra mim.
E quando a realidade me chamou, você me agarrou, e giramos feito criança dançando ciranda. Foram os melhores momentos da minha vida.
Brincamos de felicidade, pintamos sonhos e escrevemos alegria.
Mas... amanheceu e eu abri os olhos. Você não estava mais aqui, você não era real, como grande parte da minha existência.

alguém .

E se for pra ser meu, que seja eterno.
Se for eterno, que seja real.
Que hajam dúvidas, renúncias, medos, e brigas. Mas que sobretudo, haja paixão, amor, entrega, segurança e abraços. Em todo tempo abraços.
Que seus olhos se encantem pelos meus, que nossos corações estejam entrelaçados, que nossos lábios estejam em harmonia enquanto o tempo se encarrega do resto.
E então encontraremos beleza nos dias de chuva, alcançaremos a liberdade em meio o céu alaranjado pelo pôr do sol, e dançaremos entorpecidos pela beleza das borboletas bailando na essência de nossas almas. E então, deitados sobre a grama verde do jardim, seremos eternos enamorados!
Enfim definiremos o que é o amor em cada segundo respirados por nós.
 Tornaremos as letras da nossa canção mais bela a cada amanhecer, e juntos, faremos toda tristeza, e dor, e solidão, se tornarem banais diante do nosso sentimento, da nossa história, do nosso amor.